Uma nova forma de unir equipas e empresas

 

O relacionamento interpessoal, a partilha constante de conhecimento e o reforço da motivação num contexto de crise vai requerer uma atenção redobrada no novo formato de teletrabalho. O contacto humano que está agora em falta e que é essencial para manter as pessoas unidas e em sintonia tem de ser devidamente compensado e intermediado pela tecnologia. É natural e expectável que se verifiquem casos de desmotivação, de baixa produtividade, ou situações depressivas em alguns colaboradores. Por este motivo têm de existir respostas e soluções eficazes para lidar com estas situações de alarme, é neste contexto que os programas de Virtual Team Building se desenvolvem e ganham crucial importância.

Quando se deu o impacto do coronavírus (COVID-19) em toda a sociedade, todos nós, nas mais diversas esferas sociais, tivemos de nos adaptar à nova realidade. No caso das empresas, e consoante a sua área de intervenção, houve uma busca urgente por novas soluções que permitissem a adaptação a um novo contexto ainda pouco definido e em constante mutação.

Uma das primeiras reacções do mercado consistiu na sua adaptação ao meio online, criando as alternativas possíveis que permitissem continuar a oferecer os seus produtos e serviços de forma virtual, suprimindo todas as formas de contacto físico, tanto quanto possível.

“Desde o início da pandemia que se percebeu que o setor do turismo, cujas receitas em 2019 foram responsáveis por 8.7% do PIB nacional e sendo o setor com maior atividade económica, seria um dos mais afetados.Também foi claro para nós que startups e principais líderes do setor do turismo foram forçados a reinventar-se.” in PME Magazine

Na Boost Portugal não foi excepção, a nossa primeira reacção passou por avaliar todos os nossos serviços e identificar quais poderiam integrar esta transição do modelo tradicional para o virtual. Na área do turismo verificaram-se várias respostas e inovações associadas ao novo modelo de negócio, houve um esforço adicional de nos reinventarmos enquanto sector visto que fomos um dos mais atingidos pela pandemia.

Focando-nos no nosso caso prático, o primeiro passo consistiu em selecionarmos os programas de Team Building susceptíveis de serem adaptados ao meio virtual. Pesaram dois factores, o primeiro passou pela análise dos programas de team building mais vendidos e, consequentemente, mais testados no mercado e facilmente reconhecidos pelos nossos clientes habituais; em segundo lugar, tivemos de identificar caso a caso, quais poderiam funcionar num formato online e como. Em suma, tivemos de redesenhar cada programa, tornando-os exequíveis num novo formato exclusivamente virtual.

Este processo foi extremamente desafiante e moroso mas estimulante. Todos nós enquanto equipa estávamos também em teletrabalho e tudo o que tivemos de desenvolver foi executado à distância, o que tornou o processo duplamente inédito. Estávamos a criar algo novo num contexto também ele completamente diferente de tudo o que conhecíamos enquanto realidade profissional. Foi a melhor forma de testarmos as vantagens e potencialidades do regime de teletrabalho e sem dúvida, concluímos que funciona!

Até ao momento temos online 13 programas virtuais e já realizámos diferentes atividades com grandes nomes do mercado (como a BIAL ou o Banco de Portugal) e todos os programas que executámos foram um tremendo sucesso. É curioso podermos concluir que alguns dos nossos programas funcionam ainda melhor no formato online do que no tradicional!

Os programas de virtual team building mais vendidos até ao momento foram o QUIZ (Quizard of Oz), o Shark Tank Virtual e o nosso Best Seller, o Murder Mystery (Murder Mystery – Investigação Criminal Virtual).

Os nossos programas de Virtual Team Building têm algumas vantagens face ao modelo tradicional. Em primeiro lugar, alguns deles aumentaram a capacidade máxima de pessoas por programa. Algumas questões logísticas e operacionais ficaram automaticamente resolvidas devido ao novo formato cujas limitações são francamente menores. Os horários para a realização das atividades também são mais flexíveis, tanto do lado da Boost como do lado dos clientes, facilmente nos adaptamos às condições mais convenientes para todos.

Tal como nos team buildings tradicionais a hipótese de personalizarmos e adaptarmos os programas a determinadas temáticas ou realidades empresariais mantém-se perfeitamente exequível.

Todas as nossas atividades são geridas e dinamizadas por staff Boost e em alguns casos por actores, dependendo na natureza do programa. O formato embora seja online não invalida a nossa presença constante na gestão de todo o evento.

Para além da actividade em si, é crucial avaliar o pós evento, chegar a conclusões acerca da performance de cada um, as soft skills ou capacidades e aprendizagens desenvolvidas e adquiridas durante todo o programa.

“Many companies are now working more efficiently and employees are benefiting from the eradication of commuter journeys and having a better work-life balance.”

Este novo formato de trabalho remoto tem apresentado mais vantagens do que desvantagens. Todas as atenções têm estado viradas para esta nova realidade pois poderá muito rapidamente tornar-se num novo paradigma mais globalizado, deixando de estar necessariamente reservado a empresas de nicho ou a trabalhadores freelancers.

“74% of UK employees want to keep working from home after the lockdown is over” but demand “more social contact with workmates”

Do nosso lado vamos continuar a apostar em unir na distância, levando os melhores programas de virtual team building até às pessoas, motivando-as e transformando grupos em verdadeiras equipas.

Website Security Test